sábado, 24 de junho de 2017

LOVELY CAROLINA NO INSTAGRAM


O blog já tem Instagram. Inicialmente, estava bastante ansiosa e receosa com esta decisão, devido ao dilema constante entre a necessidade ou inutilidade desta conta e entre o feedback ou não feedback da vossa parte. Na verdade a dúvida mantêm-se, mas espero que as vantagens superem todos os se's.

Espero do fundo do coração que gostem e que, seja útil e melhor para vocês. Sigam-me no Instagram, o link está em baixo da imagem, em todas as palavras que digam Instagram e na barra lateral do blog. Acompanhem e gostem muito.

domingo, 18 de junho de 2017

EM MARÇO, ABRIL E MAIO:


Se achava que Janeiro passou rápido, Março, Abril e Maio passaram muito rápido. Estes foram meses onde não havia tempo para piscar os olhos, apesar de globalmente, terem sido meses com muitas metas e sucessos alcançados. Março, Abril e Maio trouxeram-me responsabilidade, tristeza, falta de tempo, pãos-de-deus às 3h da manhã, trabalho, paixão, planos, decisões, discussões, sins, exaustão, lutas dentro de água, fortalecimento, Dr. Whys, diversão, promessas, conhecimento, desafios, memórias, felicidade, compromisso, passeios em gaivotas, umas Puma Basket Heart,  um pedido surpresa, tradição, viagens promissoras, personalidade, flores vermelhas, satisfação e recompensa. Maio e Abril foram meses profissionais e Maio foi memorável.

Em Março festejei o aniversário da minha afilhada académica. O meu rebento fez 20 anos no dia 10 de Março e comemoramos em plena praça da cidade, com bifinhos e cogumelos picantes e com um balde de vodka e sumo de maracujá. Poder festejar o seu vigésimo aniversário na cidade dos estudantes, foi uma agradável surpresa. Ela é o tipo de rapariga que irradia conhecimento, beleza e uma enorme vontade para estar e para conhecer. É um orgulho e é o meu rebento.

Em Março entreguei o meu Estudo de Caso de Uma Pessoa Internada. O Estudo de Caso de Uma Pessoa Internada marca as 10 semanas do primeiro estágio do meu percurso académico e marca igualmente, um trabalho continuo, extremo e diário da minha parte. Este, é um trabalho universitário que define uma pequena parte da nota final no estágio, mas define uma enorme parte da minha personalidade e identidade pessoal e profissional para as docentes responsáveis. Felizmente, tenho tudo para dar certo.

Em Abril festejei o meu aniversário. Completei 20 anos e de forma a marcar esta data, organizei um jantar com os amigos mais próximos e com uma decoração muito colorida. Gosto de fazer anos, adoro ser acarinhada e amo ser relembrada do quanto gostam de mim. Foi um dia feliz e agradeço-lhes, individualmente, por isso. Com 20 anos,  as responsabilidades aumentam, as esperanças elevam-se e a vida sobe para outro patamar. Que seja dos patamares mais felizes da minha vida.

Em Abril finalizei o meu primeiro estágio hospitalar. Estou tão orgulhosa de mim. Foram 10 semanas consecutivas de avaliação de glicémias capilares, avaliação de sinais vitais, cateterismos venosos periférios, preparação e administração de terapêutica, colheitas de sangue, alimentação por bólus e construção da minha identidade profissional. Foi tão intenso, foi tão difícil e foi tão recompensador. Estou tão orgulhosa de mim e vou partilhar tudo num post sobre o 4º semestre do 2º ano de Enfermagem.

Em Maio presenciei e senti a minha segunda Queima das Fitas.
Sinceramente, nem tenho palavras suficientes ou apropriadas para descrever a minha segunda Queima das Fitas. Foi das semanas mais felizes que academicamente passei. Passando pelos abraços na serenta, pelo James Arthur na sexta, pelo Diogo Piçarra no sabádo, pelo Virgul na quarta, pelo cortejo no domingo, por uma afilhada traçada, por uma madrinha finalista, por amigos fantásticos, um namorado lindo e por uma tradição infinita na memorável cidade dos estudantes. Sei agora, o significado do vivam como se acabasse amanhã e sintam como fosse para sempre.

Em Maio a minha sobrinha fez um ano e foi baptizada. Foi tão bonito. Uma família reunida, todos os convidados presentes, uma quinta decorada, uma princesa vestida de branco com uma bandolete repleta de lacinhos e uma madrinha babada. Actualmente, já diz olá e caca, faz caras estranhas quando não gosta do que estamos a dizer ou a oferecer, aponta para o que quer, é teimosa, dá beijinhos com a boca e quando sorri, faz um barulho lindo e mostra todos os dentinhos que já tem.

Em Maio iniciei um novo estágio. O 4º semestre é dividido em dois estágios curriculares, um em contexto hospitalar e o segundo, o qual está a decorrer neste momento, em contexto comunitário. Ainda não tenho uma opinião muito formada sobre este segundo estágio, que tem igualmente a duração de 10 semanas e objetivos semelhantes. Porém, enquanto aluna de enfermagem não estou a gostar e não percebo a utilidade pessoal e académica que lhe está subjacente.

Em Maio e Março assisti a Logan: 7/10 e à saga dos Piratas das Caraíbas: 8/10. Não posso dizer que sou a maior fã ou conhecedora dos filmes da Marvel e muito menos da saga do X-Men, mas sou da Disney. E num encontro de amigos e grande influência de um namorado obcecado, decidimos ir assistir ao filme Logan - The Wolverine e Piratas das Caraíbas: Homens Mortos Não Contam Histórias.

sábado, 17 de junho de 2017

6 COISAS QUE QUERO FAZER COM O MEU CÃO


Sempre desejei ser dona de um animal e consequentemente ter comigo, um companheiro e um amor para uma vida. Nunca pensei muito na raça ou na mistura de raças que gostaria que este tivesse, mas adoraria ter uma menina Frenchie. Idealmente, um apartamento com ambas, muito rosa à volta e um namorado que nos amasse às duas. Idealmente só, porque a vida acontece e no dia 5 de Março de 2016, recebi o meu primeiro cão com um lacinho azul delicadamente envolvido ao pescoço e a tropeçar com as suas pequeninas patas peludas. Senti-me incrivelmente feliz e ao longo do tempo, apercebi-me da tamanha responsabilidade e do compromisso que possuí nesse dia, estou ligada a uma vida canina durante 14 anos que será sempre minha. Chama-se Mickey, é rafeiro de Lulu e Yorkshire, tem actualmente 1 ano e 5 meses e é o cão mais energético, activo e irrequieto que eu já conheci. É uma experiência e tanto ser dona. Uma experiência que envolve ração mensal, guloseimas esporadicamente, passeios regulares, idas ao veterinário, lambidelas a toda a hora, tosquias anuais devido ao calor, limpezas recorrentes e também, uma experiência que tem subjacente momentos únicos. Um dia, quando tiver a oportunidade de sair de casa e possuir o meu próprio apartamento, onde não vou ter tantas limitações de espaço, tempo e dinheiro, quero proporcionar ao cão mais peludo, fofinho e rouco do mundo, coisas obrigatórias para mim. 

1. Construir a sua própria cama. Vi recentemente uma cama adorável, aqui, possível de ser construída em casa e barata. Baseia-se num pneu reciclado, grande e lavado, tinta spray azul bebé (confirmar o tipo de tinta ideal para o pneu) e cobertores/almofadas confortáveis. Acho que é um projecto engraçado, confortável, decorativo e prático. 

2. Coleira com identificação em metal personalizada. Existem variadíssimas lojas físicas e online que nos dão hipótese de personalizar as placas de metal para colocar nas coleiras dos nossos animais de estimação. Para o Mickey, quero muito comprar um osso azul bebé com o nome dele ou uma placa metalizada redonda a dizer: "Cute as fluffy".

3. Nadar com ele. É um pouco mainstream, mas nunca o fiz. Tenho imensa curiosidade em ir, ao final do dia, a um lago com o Mickey e nadarmos juntos. Não sei qual vai ser a reação dele, não sei se sabe nadar, não sei se vai gostar de brincar dentro de água, mas sei que é um momento que temos de passar juntos.

4. Receber mensalmente uma Dog Box. Esta é inteiramente e exclusivamente porque ele merece ser mimado mensalmente com brinquedos, doces, utensílios e comida diferente do mês anterior. É este o conceito das Dog Box e é algo bastante comum no estrangeiro. Infelizmente, não tenho conhecimento de nenhuma Dog Box fabricada em Portugal.

5. Dar-lhe uma festa de aniversário. No seu primeiro aniversário, estava a 40km de distância e isso entristeceu-me. Sei que neste segundo aniversário e próximos aniversários também, vou celebrar esta ocasião especial e proporcionar-lhe uma mini-festa com direito a bolo, vela e chapéu de aniversário repleto de cores. Esperemos que ele aproveite tanto quanto eu.

6. Criar o seu próprio Instagram. São vários os cães que têm contas no Instagram e verdade seja dita, todos são lindos e as fotos são maravilhosas. Para mim, ainda não é a altura certa, mas criar uma conta para o Mickey está nos meus planos e vou ser a sua paparazzi diariamente com fotos engraçadas.

quinta-feira, 27 de abril de 2017

19 COISAS QUE APRENDI COM 19 ANOS


Hoje, completo 20 anos. Ao longo destes 19 anos posso dizer que já vivi, experienciei e aprendi imensas coisas - não todas as que imaginava e muito menos todas as que queria. No entanto, reti ensinamentos de uma vida, 19 mais precisamente, provenientes dos lugares onde passei, das pessoas com que lidei, dos momentos que experienciei e dos sentimentos que vivenciei. Com 19 anos de vida já fui muito triste, mas também já fui muito feliz. E com esta entrada nos inte, a idade suficiente para cometer as maiores loucuras ponderadas e os maiores erros perdoáveis da minha vida, espero concretizar todos os meus sonhos e enfrentar todos os meus medos. Esta é a idade das transformações e das definições, e eu espero ser incrivelmente feliz, amada, respeitada e bem-sucedida. 

1. Home is where mum is.
2. Ser grata.
3. A magia acontece fora da tua zona de conforto.
4. As amizades verdadeiras inspiram e refrescam.
5. Comparação é distracção.
6. Se custar a tua paz interior, é demasiado caro.
7. A família é sinónimo directo de porto-de-abrigo.
8. Não tens de te acostumar com o que te faz mal.
9. Metade de mim é amor e a outra, também.
10. A riqueza não se mede em dinheiro, mede-se em relações.
11. Tenho o direito de não me justificar, sem ser julgada por isso.
12. Existe um mundo para ser descoberto e eu, posso descobri-lo.
13. Nada muda, enquanto tudo está a mudar.
14. A vida dos teus sonhos não acontece sem a tua presença.
15. A tristeza é um poço sem fim.
16. Coleccionar momentos ao invés de fotos.
17. Tenho tudo para dar certo.
18. Colhes o que plantas.
19. O teu valor não é determinado pelos outros.

Quais das 19 já aprenderam também?

sábado, 1 de abril de 2017

A FADA MADRINHA QUE DESEJO SER:


Sou madrinha há 11 meses e a sensação de estar eternamente ligada a um ser humano por um título e por sangue também, é indescritível. A minha afilhada neste momento, diz mamã, reconhece quem gosta e sorri quando os vê, faz birras quando a chateamos com beijinhos e quando quer ser pegada ao colo, bate palminhas, dá mais cinco, deita a cabeça em nós quando lhe dizemos para fazer miminho, adormece com chupeta, abana a cabeça quando dizemos não e está a começar a dar os seus primeiros passos sozinha. Fui escolhida para desenrolar um papel excepcional na vida desta pequena linda menina e juntamente com a escolha, vem a responsabilidade, o compromisso, o privilégio e a felicidade de uma vida. Ser madrinha tem imensos significados intrínsecos e alguns bastante variáveis, mas para mim, significa ser um eterno anjo da guarda daquele ser humano. Quero, por isso, ser a fada madrinha perfeita - cheia de princípios, amor, educação, proteção, luz e desejos para a criança que estará sempre ligada a mim. A um mês do seu primeiro aniversário e do seu batizado, que já estão mais do que pensados e preparados, estas são as 20 coisas que acho essenciais e obrigatórias de experenciar com a minha afilhada, antes de crescer e antes de se tornar a mulher que deseja ser e que inspira os outros pela sua forma de ser, estar e viver. 

1. Andar num carrossel em pleno pôr-do-sol juntas.
2. Comprar algodão doce numa feira popular.
3. Pintar uma flor na sua cara e que ela, pinte algo na minha também.
4. Construir castelos de areia com fatos-de-banho aos folhos.
5. Que ela desenhe para mim e enquadrar esse mesmo desenho.
6. Fazer-lhe uma cauda de sereia na praia.
7. Fazer um photo journal nosso.
8. Levá-la à Disneyland Paris.
9. Plantar um jardim de flores com ela.
10. Partilharmos a mesma pulseira.
11. Que escreva e ilustre o dia mais feliz que teve e transformar, num pequeno livro publicado.
12. Construir uma árvore genealógica juntas.
13. Escrever cartas e pequenas notas para as pessoas que ela mais gosta.
14. Fazer-lhe penteados lindos.
15. Oferecer-lhe o seu primeiro fato de bailarina.
16. Fazer-lhe anualmente festas de aniversário cheias de balões, cheias de rosa e cheias de brilhantes.
17. Oferecer-lhe um diário para que possa, escrever o que mais gosta nele.
18. Saltar para um piscina de bolas coloridas com ela.
19. Fazer uma coroa de flores juntas.
20. Certificar-me que será feliz.


São madrinhas/padrinhos de alguém? O que acham essencial de experienciar com o vosso afilhado?

sábado, 4 de março de 2017

EM FEVEREIRO:


Fevereiro já acabou e foi repleto de inícios académicos e ansiedades diárias como vão poder comprovar nos tópicos seguintes. Foi um mês exigente.

Em Fevereiro celebrei o dia dos Namorados. E como o dia dos Namorados requer, houve mãos-dadas, conversas espontâneas, sorrisos partilhados, vontades satisfeitas, presentes oferecidos, jantares a quatro, agradecimentos internos e, houve até, um passo de dança inesperado no meio da rua principal da cidade. O Dia dos Namorados não é uma desculpa e sinceramente, comercial também não, é uma partilha e uma celebração de amor que não implica, de maneira nenhuma, gastar dinheiro ou amar mais intensamente do que nos outros dias.

Em Fevereiro iniciei o meu primeiro estágio profissional no Hospital. O estágio é um dos momentos mais importantes do percurso académico de qualquer estudante e para mim, como primeiro que é, dos momentos mais ansiosos e desconhecidos. Este, foi até agora o maior mixed-feeling deste ano, pois é uma mistura constante de felicidade a frustração, de postura profissional a social, de dar a ter e vice-versa. Diariamente me traz ensinamentos, sentimentos e competências diferentes e diariamente também, comprovo que é a maior fonte de conhecimento, realidade e humanitude que um estudante de enfermagem pode presenciar e ao mesmo tempo, experienciar.

Em Fevereiro avaliei sinais vitais e glicémias capilares pela primeira vez. No mesmo contexto da categoria acima, quero deixar registado neste mês as minhas primeiras vezes no estágio. Estes dois procedimentos foram os primeiros procedimentos que fiz no estágio e que, apesar da sua facilidade, custaram tanto. A partir deles, tive o primeiro contacto com os utentes e surpreendentemente, por muito simples que pareça ou fácil que seja, a primeira vez que falei com um utente num contexto profissional e como uma profissional de saúde, foi sem dúvida, marcante e ficará na minha memória para sempre a pessoa e as palavras ditas.

Em Fevereiro aprendi a fazer do meu fim-de-semana, uma semana inteira. O tempo é precioso e o meu fim-de-semana tem e deve tornar-se sempre (ou quase sempre) em infinitas horas. Estar ocupada durante todo o fim-de-semana é obrigatório, mas estar ocupada fazendo as coisas que quero e que gosto, é escolha. A organização e a gerência das prioridades e cronologia das tarefas é sempre feita, mentalmente ou manualmente, seja ir ver um filme ao cinema, ficar a escrever para o blogue, ter um jantar especial ou ficar a elaborar trabalhos e relatórios para o EC.

Em Fevereiro vi Hacksaw Ridge: 7/10, As Cinquenta Sombras Mais Negras: 6/10 e Passengers: 5/10. Hacksaw Ridge foi surpreendente, com um argumento verídico, onde a fé, o patriotismo e os ideais acompanham todo o filme. As Cinquentas Sombras Mais Negras foi suficientemente bom, numa sala de cinema com pipocas e ice-tea e Passengers foi tolerante e um pouco decepcionante.

sábado, 4 de fevereiro de 2017

FEBRUARY WISH: PUMA BASKET HEART


Mês: Fevereiro.
Descrição: Brancas, desportivas, clássicas, doces e femininas.
Motivo: Apaixonei-me pelos seus pormenores e encaixam perfeitamente
no meu estilo, pés e coração.
Lançamento: 2017
Preço: 90,00€
Tamanho: 39